Paz com palestinos está muito perto, diz Olmert

O primeiro-ministro israelense, Ehud Olmert, afirmou hoje que israelenses e palestinos nunca estiveram tão perto de um acordo de paz como agora. O líder palestino, Mahmoud Abbas, que esteve com Olmert no palácio presidencial francês, disse que os dois lados são "sérios e estão querendo alcançar a paz". Olmert e Abbas conversaram hoje com o presidente da França, Nicholas Sarkozy, antes do início da cúpula que vai lançar a União pelo Mediterrâneo e que reúne líderes de mais de 40 países da Europa, Oriente Médio e África."Nunca estivemos tão perto de um possível acordo (de paz) como hoje", declarou Olmert. Repetidas rodadas de negociações entre israelenses e palestinos desde a conferência de paz em Annapolis, Maryland (EUA), no ano passado, produziram poucas atitudes. Mas a atmosfera era amigável quando Olmert e Abbas posaram para fotos nas escadarias do Palácio do Eliseu, sede do governo francês, com Sarkozy no centro e braços unidos.Os problemas domésticos de Olmert, no entanto, ofuscam os esforços de paz. Autoridades de Israel anunciaram a ampliação de uma investigação de corrupção contra Olmert. Essas investigações ameaçam a sobrevivência política do primeiro-ministro israelense e tornarão mais difícil, pelo menos no curto prazo, a tomada de novos passos em direção à paz.O negociador palestino, Saeed Erekat, afirmou hoje que esses problemas não estão afetando as discussões atuais. Erekat disse que autoridades israelenses e palestinas vão revisar o status das negociações nos bastidores da cúpula de Paris, discutindo as atividades de Israel, a fronteira da Gaza e a libertação de prisioneiros palestinos.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.