Paz é possível com o fim dos assentamentos, diz Abbas

Um amplo acordo de paz entre Israel e os palestinos pode ser alcançado no prazo de seis meses se Israel congelar completamente a construção de assentamentos, disse o presidente palestino, Mahmoud Abbas, em entrevista publicada hoje no jornal israelense "Haaretz". Abbas afirmou que propôs recentemente ao ministro da Defesa, Ehud Barak, o congelamento das construções por seis meses.

AE-AP, Agencia Estado

16 de dezembro de 2009 | 13h43

"Eu sugeri a ele, três semanas atrás, que Israel congelasse todas as construções de assentamentos por seis meses, incluindo em Jerusalém oriental", disse Abbas ao diário. "Durante esse período, podemos voltar à mesa de negociação e até mesmo concluir as conversações de um acordo com status final. Ainda não recebi uma resposta." O escritório de Ehud Barack se recusou a comentar as declarações de Abbas. Mas um porta-voz do primeiro-ministro, Benjamin Netanyahu, disse que os palestinos deveriam "parar de dar desculpas".

Israel anunciou uma moratória de dez meses em todos os seus projetos de construção na Cisjordânia. Mas os palestinos consideraram que a medida não foi sincera e suficiente, já que algumas construções continuaram e as limitações não se aplicam a Jerusalém oriental, porção da capital que, junto com a Cisjordânia, foi tomada por Israel na Guerra dos Seis Dias, em 1967. Os palestinos querem Jerusalém oriental como a capital de seu futuro Estado.

Tudo o que sabemos sobre:
PalestinaIsraelCisjordâniaAbbas

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.