Paz no País Basco ainda vai demorar, diz Zapatero

O presidente espanhol, José Luis Rodríguez Zapatero, afirmou, em entrevista publicada neste domingo no jornal ABC, que "seria um erro ter pressa" para resolver o conflito do terrorismo do grupo separatista basco ETA (Pátria Basca e Liberdade), porque "o processo levará anos e haverá momentos difíceis".Zapatero fez estas declarações horas depois que a organização terrorista emitiu um comunicado pregando a necessidade de avançar no sentido de solucionar o conflito no País Basco, mas não fala em trégua, nem no abandono das armas.O chefe do Executivo espanhol considera que o governo, o Estado e o país precisam do Partido Popular, conservador, para "enfrentar o processo de fim da violência" e expressa sua disposição de falar sobre o tema com o líder da oposição, Mariano Rajoy.Zapatero diz na entrevista que o processo para a paz no País Basco não é uma questão "nem de um dia, nem de um mês, nem de um ano". E acrescenta que "não temos pressa" porque o contrário seria "um erro histórico".O ETA matou mais de 800 pessoas desde que iniciou, na década de 1970, as atividades terroristas reivindicando a independência do país Basco.Desde maio de 2003 não houve mortes por parte do grupo, mas sim atentados que deixaram danos materiais.O ETA reivindica a independência de Euskal Herria, um País Basco que vai de Adour até Ebro, e que inclui a região autônoma espanhola do País Basco, Navarra, e o País Basco francês, no sudoeste do país vizinho.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.