PCCh expulsa funcionários que violaram política do filho único

Política introduzida no final de 1970 evitou 400 milhões de nascimentos, segundo dados oficiais

Efe

07 de janeiro de 2008 | 06h01

O Partido Comunista da China (PCCh) expulsou 500 funcionários na província central de Hubei por infringir a política de um só filho por família, informa nesta segunda a imprensa estatal. "Muitos membros do partido, celebridades e pessoas acomodadas estão violando a política do filho único nos últimos anos, o que solapou a igualdade social", disse Yang Youwang, diretor da comissão de planejamento familiar da província. No ano passado, mais de 93 mil moradores da província violaram a política, entre eles centenas de funcionários, legisladores e conselheiros políticos, segundo a agência "Xinhua". A política do filho único foi introduzida no final da década de 1970 e evitou 400 milhões de nascimentos, de acordo com números oficiais. No entanto, atualmente a maioria das famílias mais ricas do país descumpre essa lei e prefere pagar as multas para ter mais de um filho, segundo a "Xinhua". Isto levou o Governo a iniciar várias medidas, entre elas uma nova regulamentação introduzida em setembro que impõe multas proporcionais às rendas familiares. 

Tudo o que sabemos sobre:
filho únicoChina

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.