PD propõe candidatura de Prodi; Berlusconi rejeita

O Partido Democrático (PD) da Itália propôs hoje o ex-primeiro-ministro e presidente da Comissão Europeia, Romano Prodi, como seu candidato presidencial, após um Parlamento dividido ter fracassado ontem em eleger um novo chefe de Estado em duas rodadas de votação.

Agência Estado

19 de abril de 2013 | 08h36

A aliança de centro-direita, liderada pelo ex-premiê Silvio Berlusconi, rejeitou o nome de Prodi como candidato, acabando com as chances de formar uma ampla coalizão com o grupo de centro-esquerda, encabeçado pelos democratas italianos.

Desta forma, se eleito, uma das primeiras atitudes de Prodi poderá ser a dissolução do Parlamento eleito em fevereiro e a convocação de novas eleições, que podem ocorrer já em julho.

Pier Luigi Bersani, líder da centro-esquerda, e Berlusconi haviam fechado um acordo na última quarta-feira para lançar a candidatura a presidente de Franco Marini, um ex-presidente do Senado e líder sindical. Franco, no entanto, ficou longe de obter a maioria de dois terços necessária na primeira votação.

Pegos de surpresa, Bersani e outros líderes do Partido Democrático orientarem seus parlamentares a darem votos em branco na segunda rodada, numa tentativa de ganhar tempo e repensar sua estratégia.

A terceira rodada de votação está prevista para hoje. As informações são da Dow Jones.

Tudo o que sabemos sobre:
ItáliapresidênciaProdiBerlusconi

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.