P/diretor do IFO, Alemanha elevará oposição a eurobonds

Cedo ou tarde o governo alemão elevará sua oposição aos eurobonds, afirmou hoje o pesquisador do instituto IFO Hans-Werner Sinn, em coluna publicada na revista semanal alemã WirtschaftsWoche.

PATRÍCIA BRAGA, Agência Estado

20 de outubro de 2012 | 10h13

"Na situação atual, pode-se dizer que os esforços políticos para salvar a zona do euro não se limitarão ao mecanismo de estabilidade europeu (ESM, na sigla em inglês), afirmou Sinn.

O poder de fogo do fundo permanente de resgate da Europa não será suficiente, avaliou o pesquisador. A Corte Constitucional alemã não permitiu guarnecer o ESM com uma licença bancária, então o governo alemão terá de pedir novamente ao Parlamento que aprove mais fundos, acrescentou Sinn.

Para evitar fazer pedido ao Parlamento, o governo pode precisar resistir ao eurobonds, afirmou ele. Dessa forma, concordar com reciprocidade da dívida seria uma solução mais fácil para Berlim, avaliou. Embora a introdução do eurobonds não seja uma solução duradoura, de início ela proporcionaria "calma", acrescentou Sinn em seu artigo. As informações são da Dow Jones.

Tudo o que sabemos sobre:
Alemanhaeurobondsoposição

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.