PDVSA gasta US$ 700 mi com crise de energia

A estatal Petroleos de Venezuela (PDVSA) gastou US$ 700 milhões este ano para ajudar o país a enfrentar a crise energética, segundo o jornal El Nacional. Uma seca no final de 2009 e falta de investimento no setor de energia elétrica causaram fragilidade do fornecimento na Venezuela, que depende fortemente de energia hidrelétrica.

AE, Agência Estado

10 de agosto de 2010 | 16h52

O problema diminuiu desde que a estação de chuvas voltou, elevando o nível dos reservatórios das usinas. Os gastos da PDVSA destinaram-se a sustentar a geração, transmissão e distribuição de eletricidade, todas afetadas pela crise, segundo o jornal, que citou informações fornecidas pela petroleira.

A Venezuela anunciou que investirá centenas de milhões de dólares este ano em novas usinas termoelétricas para acabar com a dependência do país da energia hidrelétrica. A falta de energia forçou o governo a racionar eletricidade no início do ano. A hidrelétrica Guri, no sul da Venezuela, fornece 73% da eletricidade do país. A PDVSA informou que a seca não afetou sua produção de petróleo. As informações são da Dow Jones.

Tudo o que sabemos sobre:
criseenergéticaVenezuelaPDVSA

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.