REUTERS/Henry Romero
REUTERS/Henry Romero

Corte de luz interrompe exportação de petróleo no principal terminal portuário da PDVSA

Porto de José, o principal terminal para escoar a produção de petróleo na Venezuela, está parado desde 7 de março

Redação, O Estado de S.Paulo

12 de março de 2019 | 11h45

CARACAS - A estatal do petróleo PDVSA não tem conseguido retomar as exportações de petróleo no Porto de José, o principal terminal para escoar a produção da commodity na Venezuela desde o apagão que deixou parte do país às escuras no dia 7.

A empresa acionou um plano de contingência e tenta restaurar o fornecimento de energia, até agora sem sucesso.

A refinaria do cinturão do Orinoco, que processa o petróleo pesado das reservas do interior do país também está paralisada em consequência da falta de energia elétrica. 

O presidente Nicolás Maduro, que tem dito que o blecaute sem precedentes é resultado de uma sabotagem dos Estados Unidos na usina hidrelétrica de Guri, determinou novamente a suspensão das aulas e do funcionamento de empresas e estabelecimentos comerciais, como havia feito na sexta-feira.

O Congresso – controlado pela oposição, mas sem poderes legislativos efetivos – convocou uma sessão de emergência para discutir os cortes de energia e acusou governo de Maduro de negligência. / REUTERS

 

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.