Peça de Saddam põe os EUA ao lado do diabo

Uma peça épica, baseada numa das duas novelas escritas pelo presidente do Iraque, Saddam Hussein, entrou em cartaz na noite de sexta-feira em Bagdá. No texto de Zabibah e o Rei, os Estados Unidos estão do lado do diabo. A imprensa iraqueana anunciou neste sábado que um terceiro livro de Saddam deve ser publicado em breve. Em Zabibah e o Rei, o monarca vinga a honra de uma mulher que foi estuprada no dia em que o exército dos Estados Unidos iniciou a Guerra do Golfo em 1991. Pessoas que assistiram à história disseram que o drama traduz o forte sentimento antiamericano que há no país. A retórica antiamericana está em alta atualmente na mídia iraqueana. Na peça, o rei, que havia sido desprezado anteriormente pela mulher, morre na batalha. Em Bagdá, fala-se que Zabibah seria a população iraqueana, que se dá conta de que seu comandante está agindo pelo bem de seu povo e está pronto para sacrificar tudo por ele. Representantes do alta escalão, incluindo o ministro da Cultura, Hamed Yousif Hummadi, assim como a maioria do membros do serviço secreto de Bagdá, foram a estréia, em meio à comemoração do aniversário de Saddam. O presidente completa 65 anos neste domingo. "Foi extremamente realista", disse Baqir al-Baqir, um comerciante. "Reflete a situação difícil que atravessamos desde 1990 e a próxima agressão norte-americana."Desde a invasão do Kuwait em 1990, o Iraque vem sofrendo sanções dos Estados Unidos, que afetam a economia do país, assim como a vida cultural. A peça é a maior produção já apresentada no Teatro Nacional Iraqueano. Há ainda planos para que a história seja transformada numa série de 20 capítulos para a televisão. Zabibah and the King, adaptada para o teatro pelo poeta palestino Adeeb Nasir, foi publicada em 2000.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.