Pecuaristas alemães fazem protesto

Cerca de 3.500 fazendeiros alemães marcharam hoje até o centro de Munique, em protesto contra a política do governo de combate à doença da vaca louca. Eles ostentavam placas acusando o chanceler Gerhard Schroeder de "assassino de fazendeiros". Porta-vozes do movimento disseram que os fazendeiros querem auxílio financeiro do governo para pagar os novos exames exigidos para o rebanho bovino.Os fazendeiros também rejeitam as normas que determinam o abate de todo o rebanho quando apenas um animal é encontrado infectado. Gerd Sonnleitner, um dos líderes rurais alemães, acusou Schoroeder de estabelecer uma política que não deve ser levada a sério, pois estimulou a modernização e industrialização das fazendas no passado, e agora quer urgência na implantação do manejo orgânico nas propriedades.Ministros de Agricultura dos Estados alemães estiveram reunidos hoje em Potsdam, perto de Berlim, para negociar a distribuição dos custos dos testes para detecção da doença, do sacrifício de animais e do descarte de carcaças entre os governos estaduais e o federal. A vaca louca poderá custar à Alemanha cerca de 2 bilhões de marcos por ano, de acordo com os ministros. O número de casos no país chegou a 28 hoje.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.