Pedófilo canadense pega três anos de prisão na Tailândia

Christopher Paul Neil foi preso no ano passado após ter suas imagens divulgadas pela Interpol na internet

AP

15 de agosto de 2008 | 02h25

Um professor canadense acusado de abusar sexualmente de um menino de 13 anos foi condenado nesta sexta-feira, 15, a três anos e três meses de prisão na Tailândia. Christopher Paul Neil, que trabalhou em diversos países asiáticos, foi preso no ano passado depois de uma caçada internacional após a Interpol divulgar suas imagens na internet. A Justiça tailandesa também lhe impôs uma multa de US$ 1780. Ele havia sido condenado no último dia 12 de maio inicialmente a seis anos e seis meses de detenção, mas a pena foi reduzida porque Neil assumiu a culpa.Neil é processado também por abusar do irmão mais novo da vítima, crime este que ele não confessou. Ele ainda pode pegar mais 20 anos por abuso sexual, por filmar o encontro e por forçar a criança a ficar com ele. A criança, com 9 anos na época do crime, diz que o acusado pagou US$ 15 dólares para o menino lhe fazer sexo oral. Este julgamento será em 7 de outubro. Após a leitura do veredicto, o canadense disse apenas 'OK' ao juiz. Ele estava vestido com uniforme de presidiário e algemado pelos tornozelos. Ele não deve recorrer.Durante o julgamento, a vítima, hoje com 18 anos, testemunhou que foi ao apartamento de Neil em Bangcoc onde o crime foi cometido. Fotos que supostamente mostram atos de pedofilia foram apresentadas ao júri. O professor foi preso na Tailândia em outubro do ano passado após a Interpol descobrir mais de 200 fotos de Neil em práticas pedófilas. Ele admitiu que tirou as fotos, mas negou que as tenha colocado na internet.   Austrália   Em Sydney, uma mulher de 40 anos que enviava pela internet imagens de crianças enquanto eram abusadas sexualmente foi condenada nesta sexta-feira, 15, a quatro anos e meio de prisão.   Suzanne McDonald se declarou culpada de possuir mais de duas mil imagens de pornografia infantil em seu computador. Ela também admitiu que enviava as fotos por e-mail para outras pessoas.   Suzanne pode solicitar liberdade por meio de pagamento de fiança dentro de três anos. Como já cumpriu parte de sua pena, a australiana pode ser liberada em dezembro de 2010.   (Com Efe)

Tudo o que sabemos sobre:
Pedofiliatailândia

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.