Pela 1ª vez, popularidade de Obama fica abaixo dos 50%

Pela primeira vez, o índice de aprovação do presidente dos Estados Unidos, Barack Obama, ficou abaixo dos 50%, de acordo com uma pesquisa divulgada hoje. O trabalho da Universidade Quinnipiac mostra que 48% dos norte-americanos aprovam o desempenho dele na presidência, ante 42% que o desaprovam. Obama também não foi bem avaliado sobre a forma como conduz a guerra no Afeganistão. Apenas 38% dos consultados são a favor da abordagem do líder nesse tema. Porém a maioria acredita que ele faz a "coisa certa" ao manter as tropas no país.

AE, Agencia Estado

18 Novembro 2009 | 11h06

O presidente norte-americano analisa uma nova estratégia para o Afeganistão e deve anunciá-la em breve. O comandante das tropas dos EUA no país, general Stanley McChrystal, pede mais 40 mil soldados. A pesquisa mostra que os norte-americanos aprovam, por pequena margem, o envio desses reforços: 47% contra 42%.

Seja qual for a alternativa escolhida pelo presidente, a população claramente prefere uma estratégia de combate aos extremistas em vez de um trabalho para a construção e fortalecimento de instituições. Apenas 37% concordam que "construir um governo democrático estável" é uma meta que valha a pena para as tropas dos EUA. Já 65% acreditam que "eliminar a ameaça de terroristas" seja algo por que vale a pena lutar.

Ao mesmo tempo que Obama avalia sua estratégia para o Afeganistão, ele enfatizou que é preciso haver uma estratégia de saída. Os norte-americanos demonstraram pouca disposição para ampliar o envolvimento no país indefinidamente.

Apenas 2% do universo consultado deseja que as tropas dos EUA permaneçam entre cinco e dez anos no Afeganistão, enquanto 31% preferem o retorno dos soldados em até um ano. Para 27%, o comprometimento dos soldados deve durar "quanto tempo for necessário". Para 53% dos consultados, Obama tomará a decisão correta sobre as tropas. Foram entrevistadas 2.518 pessoas por todo o país. A margem de erro da sondagem, realizada entre os dias 9 e 16, é de 2 pontos percentuais. As informações são da Dow Jones.

Mais conteúdo sobre:
pesquisa Obama popularidade EUA

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.