Andy Rain/EFE/EPA
Andy Rain/EFE/EPA

Pela primeira vez em quase um ano, Reino Unido não registra mortes por covid-19

De acordo com dados do governo britânico, 43 óbitos foram notificados na última semana

Redação, O Estado de S.Paulo

01 de junho de 2021 | 18h01

LONDRES - O Reino Unido não registrou nenhuma nova morte por covid-19 nesta terça-feira, 1, pela primeira vez desde julho do ano passado, informaram autoridades britânicas. Nos últimos sete dias, 43 óbitos relacionados à doença foram notificados às autoridades, uma queda de 5 pontos percentuais em relação ao registro anterior. O anúncio vem em meio a uma acelerada campanha de vacinação no país.

O país de 66 milhões de habitantes já aplicou ao menos uma dose de vacina em 74,9% de sua população adulta. Quase metade, 48,9%, já recebeu a segunda dose e está, portanto, totalmente imunizada. O país enfrenta, no entanto, um cenário preocupante, desencadeado pela chegada da variante indiana, hoje responsável pela maioria dos novos casos na região. Nesta terça-feira, o país registrou 3.165 novas infecções. 

No Twitter, o ministro da Saúde britânico, Matt Hancock, creditou o sucesso às vacinas. “Estão claramente funcionando - protegendo você, aqueles ao seu redor e seus entes queridos”, escreveu. Hancock pediu, no entanto, que a população não se descuide. “Sabemos que ainda não vencemos este vírus, e com os casos continuando a aumentar, lembre-se de mãos, rosto e espaço”, escreveu. “E claro, certifique-se de garantir as duas doses (de vacinas)”.

O Reino Unido planeja suspender as medidas restritivas que ainda estão em prática no país no dia 21 de junho, embora alguns especialistas afirmem que ainda é cedo para isso. O governo afirmou que tomará uma decisão sobre o adiamento ou não da data em 14 de junho.

O Reino Unido é um dos países mais afetados pelo coronavírus e tem o maior número de mortes da Europa até o momento: 127.782. 

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.