Pela primeira vez, equipe de comunicação da Casa Branca será formada exclusivamente por mulheres

Pela primeira vez, equipe de comunicação da Casa Branca será formada exclusivamente por mulheres

O presidente eleito dos Estados Unidos, Joe Biden, anunciou a equipe neste domingo

Redação, O Estado de S.Paulo

30 de novembro de 2020 | 03h33

WASHINGTON - O presidente eleito dos Estados Unidos, Joe Biden, anunciou neste domingo, 29, a equipe de comunicação da Casa Branca, que pela primeira vez na história do país será formada exclusivamente por mulheres, incluindo latinas e negras.

"Essas mulheres diversas, experientes e talentosas demonstram o compromisso contínuo do presidente eleito Biden em construir uma administração como a dos Estados Unidos, e ele está pronto para entregar resultados às famílias trabalhadoras desde o primeiro dia", disse um comunicado da equipe de transição de Biden e da vice-presidente eleita, Kamala Harris.

A veterana Jennifer Psaki foi escolhida como futura porta-voz da Casa Branca. Ela trabalhou na administração de Barack Obama (2009-2017), na qual Biden foi vice-presidente, em vários cargos como diretora de comunicações da mansão presidencial e como porta-voz do Departamento de Estado.

Uma equipe diversa

Psaki participou de três campanhas presidenciais, sendo a primeira de John Kerry em 2004, onde foi secretária de imprensa adjunta, além de ter atuado como porta-voz no Comitê de Campanha do Congresso Democrata em 2006.

Junto com ela estará Karine Jean Pierre, nascida na Martinica e de pais haitianos, que será subsecretária de imprensa da Casa Branca.

Jean Pierre foi a chefe da equipe de campanha de Harris até agora e, no passado, atuou como comentarista política na NBC e na MSNBC, além de atuar como diretora regional de Assuntos Políticos na Casa Branca de Obama.

Liderando a equipe de comunicações na Mansão Presidencial estará Kate Bedingfield, como Diretora, e Pili Tobar, como Diretora Adjunta.

Bedingfield, outra veterana do governo Obama, é uma colaboradora de Biden de longa data e, de fato, atuou como Diretora de Comunicações em sua campanha eleitoral.

Tobar, originalmente da Flórida (EUA) e criada na Guatemala, também trabalhou para a campanha de Biden e Harris como Diretora de Comunicações para Coalizões. Anteriormente, atuou como vice-diretora do grupo America's Voice, onde defendeu os direitos dos imigrantes, e também foi responsável por Mídia Hispânica do líder da minoria democrata no Senado, Chuck Schumer, entre outros.

Ela também foi Diretora Nacional de Mídia Hispânica do Comitê Nacional Democrata e Chefe de Comunicações do Projeto Vitória Latino.

Duas afro-americanas no comando da comunicação de Harris

Liderando a equipe de comunicação da primeira-dama Jill Biden estará Elizabeth E. Alexander, que foi conselheira de campanha do presidente eleito.

Por sua vez, as afro-americanas Ashley Etienne e Symone Sanders foram eleitas Diretora de Comunicações e porta-voz da Harris, respectivamente.

Etienne tem experiência como diretora de comunicações e consultora sênior da presidente da Câmara dos Deputados, Nancy Pelosi, e foi a primeira mulher negra a ocupar esse cargo. Ela também trabalhou como assistente especial de Obama durante sua presidência e foi também Diretora de Comunicações do Gabinete desse governo.

Sanders se tornou a mais jovem secretária de imprensa em 2016 a ocupar esse cargo na campanha presidencial do senador esquerdista Bernie Sanders. No passado, ela também foi comentarista política da CNN.

No comunicado, Biden enfatizou que "comunicar-se direta e verdadeiramente com o povo americano é um dos deveres mais importantes de um presidente, e a essa equipe será confiada a tremenda responsabilidade de conectar o povo americano com a Casa Branca".

Por sua vez, Harris lembrou que o país enfrenta desafios sem precedentes, como a pandemia, a crise econômica, as mudanças climáticas e a injustiça.

“Para superar esses desafios, precisamos nos comunicar de forma clara, honesta e transparente com o povo americano”, disse a vice-presidente eleita./EFE

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.