Pela TV, líder anuncia fim de casamento de 30 anos

Presidente russo e sua mulher, Lyudmila, dizem que a decisão de se divorciar foi tomada de forma mútua e civilizada

MOSCOU, O Estado de S.Paulo

07 de junho de 2013 | 02h04

O presidente russo, Vladimir Putin, e sua mulher Lyudmila anunciaram ontem seu divórcio em uma entrevista à televisão russa. "Essa foi uma decisão mútua. Nosso casamento terminou. Praticamente não nos vemos. Cada um tem sua própria vida", disse Putin.

O chefe do Kremlin e Lyudmila deram as declarações após assistirem ao espetáculo de balé Esmeralda no Grande Palácio do Kremlin. "Sim, podemos dizer que é um divórcio civilizado. Queremos bem a nossas filhas, estamos orgulhosos delas, nos vemos continuamente", acrescentou Lyudmila, em relação às duas filhas do casal. A primeira-dama da Rússia, de 55 anos, reconheceu recentemente que não gosta de ser uma figura pública e viajar com frequência. "Sempre seremos amigos. Agradeço a Vladimir (Putin) por me apoiar", acrescentou.

Putin e Lyudmila casaram-se em 28 de julho de 1983. Viveram então na Alemanha Oriental, onde o atual líder russo trabalhava para a KGB soviética. Sua primeira filha, Maria, nasceu em abril de 1985 na antiga Leningrado, atual São Petersburgo. A segunda filha nasceu em agosto de 1986 em Dresden, na então Alemanha Oriental.

O presidente russo, de 60 anos, cultiva a imagem de um atleta praticante de esportes radicais e artes marciais. Segundo opositores, Putin deixa-se fotografar nessas atividades para desviar a atenção do viés autoritário de seu governo. / EFE

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.