Pelo menos 100 morrem na Síria, dizem ativistas

Ativistas afirmaram que tropas da Síria mataram pelo menos 100 pessoas em uma cidade do noroeste do país, em um dos mais sangrentos incidentes desde o início do levante contra o presidente Bashar Assad, em março.

AE, Agência Estado

21 de dezembro de 2011 | 08h16

O Observatório Sírio pelos Direitos Humanos, sediado na Grã-Bretanha, afirmou que as mortes ocorreram na cidade de Kfar Owaid, na província de Idlib, noroeste do país, na terça-feira. Segundo o grupo, 111 pessoas morreram. Os Comitês de Coordenação Local, outro grupo ativista, afirma que mais de 100 foram mortos nessa cidade.

Anteriormente, os dois grupos haviam informado que tropas do regime atacaram a cidade com artilharia pesada, matando dezenas. Segundo a ONU, mais de 5 mil pessoas foram mortas na repressão. As informações desta quarta-feira são divulgadas pouco antes da chegada de uma equipe da Liga Árabe que deve preparar a ida de uma missão de observadores ao país. As informações são da Associated Press.

Tudo o que sabemos sobre:
Síriaviolência

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.