Pelo menos 12 pessoas morrem em ofensiva das Farc

Pelo menos 12 pessoas morreram e sete ficaram feridas em ataques perpetrados pela guerrilha no sudoeste do país. Um comando das Forças Armadas Revolucionárias da Colômbia (Farc) lançou um ataque nas primeiras horas de hoje na cidade de Caldono, cerca de 350 quilômetros ao sudoeste de Bogotá, matando quatro soldados e ferindo três, informou à AP José Julio Tovar, secretário de governo do Departamento de Cauca. Dois dos guerrilheiros também morreram na investida. As Farc jogaram um cilindro carregado com explosivos no quartel militar onde se registraram as vítimas. A explosão chegou a provocar dano na capela católica de Caldono. Para facilitar sua retirada e evitar o ingresso de tropas de reforço, a guerrilha dinamitou duas pontes, deixando Caldono isolada. A cidade foi alvo de quatro ataques das Farc este ano. Horas antes, as Farc haviam atacado a cidade de Cumbal, cerca de 580 quilômetros ao sudoeste de Bogotá, matando quatro policiais e um civil com cilindros de gás carregados de explosivos, informou o general Carlos Alberto Ospina, comandante do Exército. Em uma terceira incursão da guerrilha, um policial e quatro civis morreram ontem num ataque à cidade de Belalcazar, a 280 quilômetros de Bogotá, informaram as autoridades municipais. As Farc tentaram se apoderar de US$ 107 mil que estavam sendo transportados de helicóptero para o Banco Agrário da cidade de Belalcazar, mas a polícia impediu o ataque. Hoje de madrugada, a guerrilha também dinamitou o gasoduto que fornece combustível para Bucaramanga, a principal cidade do leste do país. Esta foi a terceira sabotagem que o gasoduto sofreu nos últimos 30 dias.

Agencia Estado,

13 Dezembro 2002 | 18h41

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.