Pelo menos 17 morrem em suposto ataque do Boko Haram na Nigéria

Supostos militantes do grupo islâmico Boko Haram mataram pelo menos 17 pessoas e sequestraram dezenas em uma série de ataques na região central do Estado de Borno, no nordeste da Nigéria, disse o chefe de um governo local neste domingo.

REUTERS

26 de outubro de 2014 | 18h15

As matanças, ocorridas na quinta-feira, são o mais recente de uma série de ataques de supostos insurgentes do Boko Haram, apesar do anúncio de um cessar-fogo por parte do governo da Nigéria e as negociações em andamento com o grupo no vizinho Chade.

"Dezessete pessoas foram mortas pelos agressores no ataque de quinta-feira na comunidade Ndongo", disse aos jornalistas Alhaji Shettima Maina, chefe do governo local do distrito de Mafa. "Nós enterramos as vítimas em Mafa na sexta-feira."

Funcionários do governo do Chade e da Nigéria têm atribuído os ataques a facções dissidentes do Boko Haram e bandidos - ambos se apresentando como membros do Boko Haram.

Autoridades de ambos os governos dizem que estão confiantes em alcançar um acordo com os militantes islâmicos, que poderia acabar com o conflito no nordeste da Nigéria e resultar na libertação de mais de 200 estudantes nigerianas que foram sequestradas em abril.

Mas os contínuos assassinatos e sequestros lançam dúvidas sobre o cessar-fogo. Maina disse que cerca de 30 jovens foram sequestrados nos últimos dois dias na região.

(Reportagem adicional de Anne Mireille Nzouankeu em Iaoundé)

((Tradução Redação São Paulo, 55 11 5644 7729)) REUTERS MTS MN

Tudo o que sabemos sobre:
NIGERIABOKOHARAMMORTOS*

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.