Pelo menos 20 guerrilheiros mortos na Colômbia

Pelo menos 20 guerrilheiros das Forças Armadas Revolucionárias da Colômbia (FARC) morreram em duas ações da aviação militar colombiana que impediram um atentado contra uma represa e destruíram uma ponte construída nas imediações da zona desmilitarizada, informou hoje um porta-voz militar.Uma frente das FARC que participava em 15 de fevereiro de um ato de sabotagem contra a represa de Chuza, no departamento (estado) de Cundinamarca, foi detectada pelas aeronaves militares, esclareceu a fonte.Na operação, os aviões da Força Aérea Colombiana (FAC) abriram fogo contra os guerrilheiros que preparavam o ataque contra a represa, que abastece de água a capital, Bogotá. Pelo menos 20 insurgentes morreram nesse ataque, indicou o porta-voz.A "rápida e oportuna" intervenção dos aviões de combate "impediu um novo atentado terrorista das FARC, que teria causado danos em povoados e zonas agrícolas", disse o comandante da Força Aérea, brigadeiro Héctor Velasco, o qual negou que tivesse sido cometido algum "excesso" na operação.Em outra ação, as aeronaves militares bombardearam uma ponte sobre o rio Ariari, que liga os povoados da zona de distensão com o resto do departamento de Caquetá.Com a destruição da ponte construída em segredo pelas FARC, interrompeu-se a entrada de armas e a saída de cocaína por rodovia na região, assegurou Velasco.O chefe da Aviação militar rejeitou versões de algumas pessoas, consideradas aliadas da guerrilha, que denunciaram supostos "excessos" cometidos pela Força Aérea."Aqui não houve nenhum bombardeio indiscriminado e os registros filmados assim o confirmam", indicou o brigadeiro Velasco. Ele admitiu, no entanto, que três camponeses sofreram ferimentos leves e estão recebendo atenção médica.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.