John Amis/AP
John Amis/AP

Pelo menos 22 mortos e 50 desaparecidos nas inundações do Tennessee

O Estado americano foi atingido no sábado por tempestades consideradas ‘históricas’ pelos meteorologistas

Redação, O Estado de S.Paulo

23 de agosto de 2021 | 08h00
Atualizado 24 de agosto de 2021 | 02h43

NASHVILLE - As inundações que afetam o Estado de Tennessee, no sul dos Estados Unidos, deixaram pelo menos 22 mortos e 50 desaparecidos, informaram fontes do governo local à agência Reuters em um balanço preliminar. O Estado foi atingido no sábado por tempestades e inundações consideradas "históricas" pelos meteorologistas, com 38 centímetros ou mais de chuva. 

Estradas rurais, rodovias estaduais e pontes foram destruídas e milhares de casas ficaram sem energia elétrica. A inundação arrancou árvores maciças, arrancou casas e atirou carros e caminhonetas para valas e galpões e outras estruturas.

Cindy Dunn, de 48 anos, disse ao jornal Tennessean que ela e o marido ficaram presos no sótão de casa durante várias horas após a água ter subido a 1,8 m de altura. O casal foi salvo por uma equipe de resgate que ergueu o balde de uma escavadeira até uma janela pela qual pudessem passar. "Inferno. Foi isso que enfrentamos", disse Dunn ao jornal.

No Condado de Humphreys, a 90 minutos de Nashville, as inundações de sábado representaram um recorde de 24 horas de chuvas no Tennessee, informou o Serviço Meteorológico Nacional.

O governador do Estado, Bill Lee, descreveu cenas como de "perdas e dor" em Waverly, uma localidade de 4.500 habitantes onde morreram 20 pessoas. "Nossos corações e nossas orações têm de estar com as pessoas desta comunidade", disse Lee após visitar o local da tragédia.

O chefe de polícia Grant Gillespie informou que a outra morte aconteceu em uma área rural no mesmo condado. Registaram-se chuvas de até 17 polegadas (43 cm) em algumas áreas que provocaram cheias na tarde de sábado e à noite. A cidade de Waverly, cerca de 55 milhas (88 km) a oeste de Nashville, foi a mais atingida. Centenas de casas ficaram inabitáveis.

O prefeito de Waverly, Wallace Frazier, disse ao jornal Tennessean que as pessoas mortas nas inundações tinham idades variadas. O Washington Post, citando membros de uma família, relatou que gêmeos de 7 meses  morreram depois de terem sido varridos pela água dos braços dos seus pais.

Os funcionários da administração de Waverly compararam a tempestade a um furacão ou tornado e afirmaram que a água subiu tão rápido que algumas pessoas não tiveram tempo de abandonar suas casas. As operações de socorro prosseguiram no domingo. Funcionários seguiram de casa em casa para buscar vítimas ou pessoas que precisavam de ajuda. 

O Departamento de Segurança Pública de Waverly publicou em sua página no Facebook uma lista de nomes de pessoas desaparecidas e pediu a ajuda dos moradores para localizar todas. "Temos várias pessoas reportadas apenas com o primeiro nome, ao lado de várias crianças desaparecidas", afirma o comunicado, que pede aos moradores que informem às autoridades se alguém da lista foi encontrado e está a salvo. 

Em Washington, o presidente Joe Biden expressou "o mais sincero pêsame pela repentina e trágica perda de vidas" no Tennessee. "Pedi ao administrador da Agência Federal de Gestão de Emergências que converse com o governador (Bill) Lee do Tennessee imediatamente e ofereça a ajuda necessária", disse. 

Nesta terça-feira, 24, Biden classificou a situação como um “grande desastre” e ordenou ajuda federal para complementar os esforços locais na recuperação das áreas afetadas. A medida foi anunciada pela Casa Branca em um comunicado oficial. 

Com a ação, os moradores afetados do condado de Humphreys terão acesso a subsídios para habitação temporária e reparos domésticos, a empréstimos de baixo custo para cobrir perdas de propriedades sem seguro e a uma série de outros programas de auxílio.

“Avaliações de danos continuam em outras áreas, e mais condados e outras formas de assistência podem ser contemplados depois que as análises forem totalmente concluídas”, diz o texto. 

O xerife do Condado de Humphreys, Chris Davis, contou a um canal de televisão local que perdeu um amigo nas inundações. "Foram procurar um dos meus melhores amigos e o encontraram. Ele se afogou", disse. "É difícil, mas vamos seguir adiante". Entre os desaparecidos estão pelo menos seis crianças, afirmou Davis. 

As autoridades anunciaram um toque de recolher noturno, enquanto prosseguem os esforços para encontrar os desaparecidos. / AFP e REUTERS

 

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.