Omar HAJ KADOUR / AFP
Omar HAJ KADOUR / AFP

Pelo menos 39 pessoas morrem durante combate na Síria

Segundo ONG de direitos humanos, entre os mortos estão soldados do exército regular e combatentes de grupos rebeldes

Redação, O Estado de S.Paulo

16 de janeiro de 2020 | 05h44

SÍRIA - Pelo menos 39 pessoas morreram em intensos combates entre forças do governo e milícias rebeldes e jihadistas na província de Idlib (noroeste da Síria), segundo o Observatório Sírio para os Direitos Humanos (OSDH).

Entre os mortos, 22 são combatentes dos grupos jihadistas e rebeldes, pertencentes principalmente a Haya Tahrir al Sham (HTS), o antigo ramo da Al Qaeda na Síria, disse o OSDH.

Os outros 17 mortos são soldados do exército regular da Síria e combatentes das milícias aliadas do governo sírio, disse o diretor da OSDH, Rami Abdel Rahman.

As forças do governo conquistaram duas aldeias depois de lançar uma ofensiva para tomar a cidade estratégica de Maaret al Numan, de acordo com o órgão. As tropas sírias estão a sete quilômetros de Maaret al Numan.

Esses confrontos violam a trégua anunciada em 9 de janeiro pela Rússia, principal aliada do governo sírio e confirmada pela Turquia. O cessar-fogo começou em princípio no domingo, 12 de janeiro.

Na quarta-feira, 15, os ataques aéreos causaram a morte de 18 civis na cidade de Idlib, capital da província de mesmo nome, a última que o governo sírio não controla, afirmou o OSDH. /AFP

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.