Pelo menos 40 militantes da Al Qaeda fogem de prisão no Iêmen

No total, 62 prisioneiros fugiram após terroristas abrirem fogo contra portões da prisão

REUTERS

22 de junho de 2011 | 08h58

ÁDEN - Pelo menos 40 militantes da Al-Qaeda fugiram de uma prisão no sul do Iêmen nesta quarta-feira, 20, após um ataque contra o complexo, disseram autoridades de segurança.

Países ocidentais e a vizinha Arábia Saudita temem que a Al-Qaeda esteja se aproveitando da instabilidade no Iêmen para conquistar um ponto de apoio no empobrecido país e lançar ataques na região.

Um soldado foi morto e dois ficaram feridos quando militantes abriram fogo contra a prisão al-Munawara, na cidade portuária de al-Mukalla, no sul do país.

"Os militantes abriram fogo contra os portões da prisão e trocaram tiros com os guardas, ferindo dois e matando um", disse uma autoridade da segurança, acrescentando que 62 prisioneiros haviam fugido.

Todos os prisioneiros eram iemenitas e a maioria foi detida depois de retornar do Iraque, onde lutaram em postas militantes, afirmou.

Opositores do presidente Ali Abdullah Saleh o acusaram de permitir que os militantes islâmicos atacassem Zinjibar, a capital da província de Abyan, no sul do Iêmen, no mês passado, para promover a ideia de que apenas ele poderia impedir uma tomada de poder islâmica.

Tudo o que sabemos sobre:
IEMENPRISAOALQAEDA*

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.