Pelo menos 45 reféns russos morreram baleados

O promotor de Moscou, Mijaíl Avdiukov, disse nesta terça-feira que 45 dos 117 reféns mortos na operação das tropas russas no teatro de Moscou, invadido por separatistas chechenos, morreram em conseqüência de um tiro. Depois da ofensiva, os médicos afirmaram que apenas 2 pessoas morreram baleadas e o restante morreu após respirar um gás venenoso utilizado pelas tropas especiais russas. Agora, a investigação quer saber de onde saíram os tiros que mataram os reféns, das armas da polícia ou dos separatistas chechenos.Alta - A agência de notícias Itar-Tass, baseada em informações dos hospitais, declarou que 333 sobreviventes do teatro tiveram alta do hospital nesta terça-feira. Cerca de 311 pessoas continuam internadas, sendo que 16 em estado grave, decorrente do gás. As autoridades russas não se pronunciaram até agora sobre o tipo de gás utilizado no último sábado, quando terminou os seqüestro de pelo menos 700 pessoas do teatro Dubrovka. Mas, a embaixada norte-americana, em Moscou, disse que a substância usada para imobilizar os extremistas chechenos, que estavam em posse de grande quantidade de explosivos, foi provavelmente um gás à base de opiáceos (um preparado com ópio).

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.