Pelo menos 50 mortos em naufrágio de barco na Índia

Pelo menos 50 pessoas, entre elas 12 crianças, morreram quando o barco em que viajavam afundou no leste da Índia, informou hoje um funcionário do governo. O barco com cerca de 80 pessoas a bordo virou por causa das turbulentas águas do Rio Baitarani, no distrito de Jajpur, disse Kashnath Sahu, principal funcionário do governo no distrito, no Estado oriental de Orissa. "Trinta pessoas conseguiram nadar até as margens do rio, mas as outras foram arrastadas pela correnteza", acrescentou. Apenas um corpo foi recuperado no local da tragédia, a cerca de 120 quilômetros ao norte de Bhubaneshwar, a capital de Orissa. Equipes de resgate buscavam hoje rio abaixo os outros corpos. O barco superlotado, que transportava os passageiros do povoado de Solampur a Devighat, do outro lado do rio, foi arrastado depois de bater contra um banco de areia. O nível do Rio Baitarani havia aumentado por causa das fortes chuvas das últimas semanas. As chuvas de monção anuais provocaram neste Estado costeiro inundações em mais de uma dezena de rios que desembocam na Baía de Bengala. Mais de 300 pessoas morreram nas inundações do vizinho Estado de Bihar. Contudo, o Estado de Orissa não sofreu severas inundações este ano, pois as chuvas de monção chegaram com atraso à região. Na Indonésia, pelo menos 20 pessoas, entre elas várias crianças, morreram na explosão de um barco de passageiros que transportava cerca de 200 pessoas no leste do país, informaram os serviços de resgate. O acidente ocorreu na sexta-feira à noite no porto de Baubau, em Sulawesi. Segundo o coordenador dos serviços de resgate, Rocky Asikin, indícios preliminares segurem que a explosão ocorreu na sala de máquinas do barco. Muitos passageiros conseguiram nadar e salvar-se e pescadores locais e equipes de resgate dizem ter retirado 69 pessoas das águas. Os acidentes com barcos são comuns na Indonésia, já que este é o principal meio de transporte no grande arquipélago. As autoridades não são muito rigorosas com as medidas de segurança e os proprietários dos barcos alegam que não têm dinheiro para fazer a manutenção periódica das embarcações. Ainda hoje, desconhecidos mataram três pessoas, entre elas dois americanos, e feriram outras 14, perto da maior mina de ouro do mundo na Província de Papua, Indonésia. As vítimas viajavam em um comboio, emboscado entre a localidade de Timika e a mina Grasberg, propriedade de americanos, disse o chefe de polícia de Papua, Made Patika. Entre os feridos estavam outros sete americanos, alguns dos quais lecionavam em uma escola perto da mina. Papua, 3.600 a leste de Jacarta, é reduto de um pequeno grupo guerrilheiro, que durante décadas comanda uma campanha contra o governo.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.