Pelo menos 6 palestinos morrem em incursão israelense

Pelo menos seis palestinos morreram hoje quando tropas israelenses entraram na cidade de Beit Rima, na Cisjordânia, em busca dos militantes que assassinaram o ministro israelense de Turismo Rehavam Zeevi. O presidente dos EUA, George W. Bush, havia pedido que Israel se retirasse de áreas palestinas ?o mais rápido possível?. As forças israelenses entraram na cidade depois da meia-noite e encontraram resistência armada, disseram os militares.Fontes israelenses, falando sob condição de anonimato, disseram que seis palestinos foram mortos, mas autoridades palestinas disseram que o número de mortos é de pelo menos nove pessoas num dos piores confrontos entre tropas israelenses e palestinos da atual onda de violência entre os dois lados, que já dura 13 meses.O comandante do Exército israelense na Cisjordânia, General de Brigadeiro Gershon Yitzhak, disse que os militantes que assassinaram o ministro Rehavam Zeevi viviam na cidade, ao norte de Ramallah. Yitzhak acrescentou que 10 Palestinos foram presos.O porta-voz do exército, tenente-coronel Olivier Rafowicz disse que dois deles estariam ligados ao assassinato. As autoridades disseram que todos os palestinos mortos ou feridos estariam ligados a grupos militantes palestinos - Frente Popular para a Libertação da Palestina (FPLP), que assumiu a responsabilidade pelo assassinato, Hamas e Tanzim, milícia afiliada à Fatah, do líder palestino Yasser Arafat.Funcionários da segurança palestina, pedindo anonimato, disseram que as forças israelenses prenderam 4 suspeitos. O gabinete palestino divulgou um comunicado em que acusa Israel de promover um ?terrível massacre? em Beit Rima, dizendo que nove palestinos foram mortos e dezenas feridos. O comunicado faz um apelo para que os EUA e o mundo pressionem Israel para ?colocar um fim imediato nessa contínua agressão e oferecer proteção aos civis palestinos?.Leia o especial

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.