Pelo menos 65 corpos são encontrados em rio de Alepo

Ativistas da oposição síria e rebeldes afirmaram nesta terça-feira que dezenas de corpos de homens, em idade militar, foram encontrados nas margens de um rio na cidade de Alepo, norte da Síria. Aparentemente, os jovens foram vítimas de execução sumária, realizada por forças leais ao presidente Bashar Assad.

AE, Agência Estado

29 de janeiro de 2013 | 18h58

O governo não havia feito comentários sobre o episódio, que não pôde ser verificado de forma independente. As tentativas de entrar em contado com moradores e ativistas de Alepo não surtiram efeito.

Testemunhos obtidos pelo Observatório Sírio pelos Direitos Humanos, grupo sediado em Londres, assim como fotografias e imagens colocadas na internet parecem confirmar os assassinatos, mas há poucos detalhes sobre a identidade das vítimas, quem foi responsável pelas mortes ou as circunstâncias em que elas ocorreram.

"O que sabemos: pelo menos 65 homens foram sumariamente executados, alguns com disparos na cabeça", disse o fundador e diretor do Observatório, Osama Sleiman, também conhecido pelo pseudônimo Rami Abdel-Rahman. "Este é um crime e um massacre pelo qual a comunidade internacional tem responsabilidade, porque está fazendo pouco para conseguir uma transição democrática na Síria."

A maioria dos corpos mostrado nas imagens estava coberto de lama e parecia ter ferimentos recentes, resultantes de disparos, na cabeça. Alguns tinham as mãos amarradas para trás. Outras imagens mostram os corpos empilhados na traseira de uma picape e no interior de caminhões refrigerados. Imagens diferentes mostram os corpos, dentre os quais o de um adolescente, alinhados no chão para serem identificados.

De acordo com o Observatório, 17 corpos foram identificados. Os Comitês de Coordenação Locais, uma rede de ativistas que atua no território sírio, diz que 80 corpos foram encontrados no local. Adam Omar, nascido em Alepo e ativista contrário ao regime que atualmente vive no Reino Unido, disse que a maior parte dos mortos eram prisioneiros das forças do governo.

A região onde os corpos foram encontrados está na linha que separa o setor leste de Alepo, controlado pelos rebeldes, do oeste da cidade, que em sua maioria permanece sob o comando das forças do regime e é dominado por moradores leais ao governo. As informações são da Dow Jones e da Associated Press.

Tudo o que sabemos sobre:
SíriaAlepomortos

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.