Pelo menos 77 mil iraquianos morreram nos cinco anos de conflitos no país

GUERRA SEM FIM

, O Estado de S.Paulo

15 de outubro de 2010 | 00h00

O Exército dos EUA divulgou ontem seu mais amplo relatório sobre a guerra do Iraque, segundo o qual cerca de 77 mil iraquianos civis e integrantes das forças de segurança morreram entre o início de 2004 e 2008, número abaixo das estimativas do governo do Iraque.

A contagem dos militares americanos, que abrange o capítulo mais sangrento da guerra sectária iraquiana e o grande envio de tropas dos EUA para o país, ficou abaixo dos 85.694 mortos divulgados no ano passado pelo Ministério de Direitos Humanos do Iraque. O número de vítimas é alvo de controvérsia por questões políticas envolvidas na guerra e da oposição ao conflito de muitos países e de uma grande parcela dos americanos.

No total, os dados divulgados informam que 76.939 civis e agentes de segurança foram mortos e 121.649 ficaram feridos entre janeiro de 2004 e agosto de 2008. A contagem mostra que 3.952 militares americanos e de outros países aliados perderam a vida no mesmo período.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.