Pelo menos 79 mortos em ataque a mesquita xiita

Dois militantes suicidas usando trajes islâmicos femininos se explodiram nesta sexta-feira em frente a uma mesquita xiita no norte de Bagdá, matando pelo menos 79 pessoas e ferindo outras 164. Foi o segundo grande ataque contra alvos xiitas em dois dias.O coronel da polícia local, Falah al-Mohammedawi, informou que as explosões ocorreram na saída das Orações de sexta-feira, principal serviço religioso da semana, na Mesquita Buratha, que é ligada ao Conselho Supremo para a Revolução Islâmica no Iraque (CSRII), o principal partido xiita do país.O atentado ocorreu no momento em que o embaixador americano no país, Zalmay Khalilzad, advertia sobre a possibilidade de uma guerra civil sectária no Iraque caso fracassem os esforços visando a formação de um governo de unidade nacional.Um dos mais destacados líderes políticos do Iraque, Jalal Eddin al-Sagheer, disse mais tarde que três militantes suicidas, e não dois, participaram do ataque.Segundo ele, um atacou a entrada feminina da mesquita, outro agiu no pátio do templo e o terceiro tentou atacar seu gabinete. Sagheer não ficou ferido.Ele acusou políticos e clérigos sunitas de promoverem "uma campanha de distorções e mentiras tendo como alvo a mesquita de Buratha, dizendo que ela abriga prisioneiros e valas comuns de sunitas".Segundo ele, "os xiitas são alvo dessa guerra sectárias suja enquanto o mundo assiste a tudo passivamente". As declarações foram feitas em entrevista à emissora de televisão pan-árabe Al-Arabiya.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.