Pelo menos mil estrangeiros deixam a Costa do Marfim

Soldados franceses já retiraram aproximadamente mil estrangeiros, na sua maioria cidadãos franceses, da cidade de Bouaké, na Costa do Marfim. Nesta sexta-feira, mais 200 estrangeiros deixarão o local em helicópteros e caminhões. O ministro da Defesa da Costa do Marfim, Lida Moise Kouassi, declarou Bouaké ?zona de guerra?. A cidade fica a 100 km ao norte de Yamoussoukro, capital administrativa do país. Segundo o ministro, soldados leais ao governo vão realizar nas próximas horas uma ofensiva para expulsar as forças amotinadas da cidade de Korogho e outros locais ao norte do país, incluindo Bouaké. Membros da Ecowas, força de intervenção para a África ocidental, vão se reunir no próximo domingo em Abidjã, sede do governo, para discutirem a crise no país. No último dia 19 de setembro, cerca de 750 soldados se amotinaram contra um projeto do governo de reduzir drasticamente o número de homens do Exército marfinense. Até agora, cerca de 400 pessoas já morreram durante os conflitos.França, Estados Unidos e Grã-Bretanha enviaram tropas militares ao país para proteger seus cidadãos. A embaixada americana em Abdijã recomendou aos seus compatriotas que abandonem a Costa do Marfim.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.