Pelo menos sete morrem em novos bombardeios israelenses no Líbano

Pelo menos sete pessoas morreram e cerca de 20 ficaram feridas em novos bombardeios israelenses em diferentes regiões do Líbano, informa a imprensa local.Em Tiro, no sul do país, cinco pessoas - uma mãe, seus três filhos e uma empregada da família -, morreram quando um míssil disparado pela aviação israelense atingiu o edifício de quatro andares onde residiam em Burj Chemali, informou a emissora "A Voz do Líbano".Além disso, dois palestinos ficaram feridos em um posto de gasolina atingido pelas bombas israelenses, também em Burj Chemali, na entrada leste da cidade de Tiro, onde aconteceu um incêndio que ameaça um hospital e um centro comercial.Outros dois palestinos ficaram feridos em um ataque aéreo israelense contra o acampamento de refugiados de Ain el Helu, o maior dos 12 existentes no Líbano, localizado nos arredores de Sidon.A aviação de Israel também atacou a região de Nabatiyeh (sul), onde se acredita que há feridos em Kfar Ruman, acrescentou a emissora.No vale oriental do Bekaa, dois civis morreram e outros dez ficaram feridos na aldeia de Ali an Nahri, na região de Baalbeck, onde a aviação israelense disparou contra uma casa e um centro de culto xiita.Aviões militares israelense atacaram também um veículo do Exército libanês, e dois de seus ocupantes ficaram feridos em Aita Fajar, também no sul.Na região nortista de Akaar, Israel bombardeou hoje três pontes, ferindo pelo menos sete pessoas. Algumas dessas pontes já haviam sido danificadas em ataques anteriores das forças israelenses.Além disso, o Estado judeu bombardeou a cidade de Halba, onde destruiu vários edifícios e um posto do Exército. Até o momento, não foi informado se este ataque provocou vítimas.Paralelamente aos bombardeios aéreos, Israel continua com sua ofensiva terrestre, concentrando sua artilharia contra a forte resistência dos combatentes do Hezbollah, que anunciou hoje ter destruído um carro de combate israelense.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.