Pelo menos três palestinos morrem em explosão em Gaza

Uma bomba colocada numa estrada por militantes que tentavam emboscar uma escavadeira israelense, no campo de refugiados de Rafah, sul da Faixa de Gaza, matou três palestinos e feriu outras dez pessoas, incluindo um cinegrafista da agência Reuters, atingido na mão por estilhaços do explosivo. O grupo islâmico Hamas informou que dois dos mortos eram seus membros, enquanto as Brigadas dos Mártires de Al-Aqsa identificaram o terceiro como seu militante. A bomba explodiu a poucos metros do local onde a escavadeira trabalhava, numa área residencial superpovoada. Segundo o Exército de Israel, o objetivo de suas operações na área é destruir túneis usados pelos militantes palestinos para contrabandear armas e explosivos do Egito. Os militares também continuam demolindo casas e áreas verdes na região de Beit Hanoun, no norte da Faixa de Gaza, área de onde radicais palestinos costumam lançar foguetes contra a cidade israelense de Sderot. Hoje, o Hamas ameaçou atacar continuamente Sderot se o Exército de Israel não abandonar Beit Hanoun. A invasão israelense provocou protestos de moradores e militantes contra a Autoridade Palestina, por nada fazer para impedir a ação dos soldados. Mas os moradores também estão revoltados com a ação dos grupos extremistas, que sempre têm como conseqüência as incursões israelenses.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.