Pelo menos um dos soldados seqüestrados no Iraque foi decapitado

Pelo menos um dos dois soldados americanos mutilados e mortos no Iraque no último fim de semana foi decapitado, informou nesta quarta-feira um oficial militar dos Estados Unidos.A descrição feita pelo oficial, que está em Washington, confirma o temor levantado por militares norte-americanos e iraquianos de que os corpos apresentavam sinais de tratamento brutal. O oficial pediu para não ser identificado porque o relatório final sobre o estado dos corpos ainda não foi formalmente publicado.Na terça-feira, após oficiais iraquianos revelarem que os corpos haviam sido encontrados, o Conselho Consultivo dos Mujaheddins publicou na internet uma nota dizendo que o novo líder da Al-Qaeda no Iraque, Abu Hamza al-Muhajer, teria "massacrado" os soldados. A linguagem utilizada na nota, cuja autenticidade não pôde ser confirmada, sugere que os soldados foram decapitados.Acredita-se que os corpos sejam dos soldados Kristian Menchaca, de 23 anos, e Thomas L. Tucker, de 25. Ambos desapareceram após um ataque de insurgentes em um ponto de checagem em um canal do rio Eufrates, 19 quilômetros ao sul de Bagdá.O grupo insurgente afirma que o novo líder da Al-Qaeda no Iraque executou os homens pessoalmente, mas nenhuma evidência foi apresentada. O Exército dos EUA não soube confirmar se os soldados morreram devido aos ferimentos causados pelo ataque ou se foram seqüestrados e mortos em seguida.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.