Pelo menos um funcionário do MSF é morto na Somália

Um ex-funcionário descontente atirou em pelo menos dois funcionários da organização não-governamental Médicos Sem Fronteiras no interior do escritório do grupo, na capital da Somália. Pelo menos uma pessoa morreu.

AE, Agência Estado

29 de dezembro de 2011 | 13h58

Segundo Ahmed Ali, segurança do grupo humanitário, um funcionário somali que cuidava do setor de logística foi demitido na quarta-feira. Ele voltou nesta quinta-feira ao local e abriu fogo, atingindo dois funcionários e matando um deles, afirmou Ali. Não há mais detalhes e as nacionalidades dos funcionários não foram divulgadas.

Uma porta-voz do Médicos Sem Fronteiras disse que não podia falar sobre o assunto. Mogadiscio é um dos locais mais perigosos do mundo para trabalhadores humanitários.

Muitos grupos não permitem que trabalhadores internacionais permaneçam na capital por um período longo e os grupos dependem principalmente de funcionários somalis. Os trabalhadores humanitários internacionais podem ser alvo de ataques e sequestros realizados por militantes. As informações são da Associated Press.

Tudo o que sabemos sobre:
SomáliaMédicos Sem Fronteirasataque

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.