Laurent Cipriani/AP
Laurent Cipriani/AP

Pelo menos uma pessoa morre em atentado terrorista na França

Ataque a empresa de gás industrial aconteceu na cidade de Saint-Quentin Fallavier, 525 quilômetros ao sudoeste de Paris

Andrei Netto, Correspondente / Paris, O Estado de S. Paulo

26 de junho de 2015 | 06h41

PARIS - Pelo menos uma pessoa morreu e duas ficaram feridas em um atentado terrorista na cidade de Saint-Quentin Fallavier, a 525 quilômetros a sudeste de Paris. O crime aconteceu por volta de 9h50 da manhã (horário local) desta sexta-feira, 26, no pavilhão logístico de uma empresa de gás industrial localizada entre as cidades de Lyon e Grenoble. A companhia, americana, é uma das principais especialistas do mundo em sua área.

Uma bandeira islamista foi encontrada ao lado de um corpo decapitado. Um homem de cerca de 30 anos foi interpelado e preso pela polícia, mas ainda não há informações sobre se se trata de um dos autores do crime.

O ataque teve início com uma explosão, que deixou feridos e causou um incêndio. De acordo com os primeiros testemunhos colhidos pelo jornal regional Le Dauphiné Libéré, pelo menos dois homens armados invadiram a sede da empresa Air Products. Um deles teria em mãos a bandeira islamista e teria reivindicado o atentado em nome do grupo terrorista Estado Islâmico.

A região foi isolada pela polícia e pelo corpo de bombeiros. Uma investigação formal foi aberta pela Direção Geral de Segurança Interior (DGSI), um dos órgãos de inteligência da França, por assassinato, crime organizado e terrorismo. O Ministério Público de Paris anunciou que assumirá o comando dessa investigação, orientando o trabalho da direção-geral. De acordo com uma fonte ouvida pelo jornal francês, a DGSI estava em alerta máximo porque dispunha de informações de que um novo atentado de natureza extremista aconteceria em território francês.

Segundo o ministro da Defesa, Jean-Yves Le Drian, não há dúvida alguma de que se trata de um atentado terrorista. "Infelizmente, um novo atentado terrorista acaba de acontecer", afirmou Le Drian em meio a uma visita que fazia pela manhã, informando: "Às 15h o presidente da república reunirá o Conselho de Defesa".

O ministro do Interior, Bernard Cazeneuve, deixou Paris e está a caminho do departamento de Isère, onde a cidade de Saint-Quentin se situa, para acompanhar as investigações e a caçada aos autores do crime. Já o presidente francês, François Hollande, que estava em Bruxelas para participar da cúpula da União Europeia, não compareceu na reunião da manhã. Ele retorna à Paris no início da tarde (hora local).

Tudo o que sabemos sobre:
FrançaatentadoterrorismoParis

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.