REUTERS/Andrew Yates
REUTERS/Andrew Yates

Pelo Twitter, ofertas de abrigo, chá e abraços

Solidários, moradores de Manchester usaram a rede social para ajudar jovens que não conseguiram voltar para casa

O Estado de S.Paulo

22 Maio 2017 | 23h56

MANCHESTER, REINO UNIDO - A explosão após o show da cantora americana Ariana Grande na Manchester Arena deixou milhares de jovens presos na cidade depois que as autoridades encerraram os serviços de trem e metrô, temendo um novo incidente.

Aterrorizados, os fãs que escaparam da explosão vagavam pelo centro buscando meios de voltar para casa. Sensibilizados, vários voluntários se ofereceram para ajudar os jovens com cobertores, café, chá, carona, quartos para que passassem a noite e até mesmo o conforto de um abraço. Centenas de moradores de Manchester colocaram à disposição suas casas usando a hashtag #RoomForManchester.

Mais de 50 adolescentes foram levados para o Hotel Holiday Inn para se recuperar após a explosão que deixou pelo menos 19 mortos e 59 feridos. Paula Robinson, que estava no hotel, escreveu no Facebook: “Temos cerca de 50 jovens conosco esperando para serem levados para casa, estão a salvo, cuidaremos deles”. Ela pediu a seus seguidores que compartilhassem seu post para que os pais pudessem encontrar seus filhos.

Rachel Ellis‏ tuitou: “Se você precisa de uma cama, uma xícara de chá, recarregar seu celular, etc., estou a 15 minutos do Manchester Arena”.

Também pela rede, Sarah Donohoe‏ ofereceu uma cama de casal e um beliche em sua casa “perto de Piccadilly” a quem precisasse de um lugar para passar a noite. Outra pessoa pediu “às maravilhosas pessoas de Manchester que usassem o #RoomForManchester para ajudar os jovens necessitados”.

No Twitter, outra hashtag, #PrayForManchester convidava as pessoas a orar pelas vítimas da explosão. Pais desesperados sem notícias de seus filhos desde o início do show postaram detalhes sobre eles nas redes sociais com a esperança de obter informações.


Do lado de fora da Manchester Arena, pais e mães checavam constantemente seus celulares na esperança de receber algum telefonema ou mensagem dos filhos que tinham assistido ao espetáculo de Ariana Grande e haviam sido retirados da área.

Os hospitais receberam orientações para se preparar para receber um grande número de pacientes e pediram aos que não tivessem casos de urgência que fossem para casa.

Dezenas de artistas também usaram as redes sociais para se manifestar. A cantora Nicki Minaj, que já fez parcerias com Ariana Grande, disse no Twitter: “Meu coração está machucado pela minha irmã, Ariana, e por todas as famílias afetadas por esse evento trágico no Reino Unido. Vidas inocentes perdidas. Eu estou triste de ouvir isso”, disse a rapper. Já a cantora Pink escreveu: “Meus pensamentos e orações estão com as pessoas em Manchester, todos os afetados, Ariana Grande e toda sua equipe”. / ANSA e AFP

 

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.