Jonathan Ernst/Reuters
Jonathan Ernst/Reuters

Pelo Twitter, Trump lamenta marco de 100 mil mortes por covid-19 nos EUA

Postagem foi feita cerca de 16 horas após o número de mortes da covid-19 exceder esse limite, de acordo com a contagem da Universidade Johns Hopkins, uma referência nacional 

Redação, O Estado de S.Paulo

28 de maio de 2020 | 16h55

WASHINGTON - O presidente dos Estados Unidos, Donald Trump, lamentou o marco de 100 mil mortes no país em decorrência da pandemia de coronavírus em uma publicação no Twitter nesta quinta-feira, 28, um dia após seu silêncio ser notado em relação ao balanço.

“Acabamos de alcançar um marco muito triste, com as mortes pela pandemia de coronavírus atingindo 100 mil. Para todas as famílias e amigos daqueles que já morreram, quero estender minha sincera simpatia e amor por tudo o que essas pessoas representavam. Deus esteja com vocês!”, tuitou Trump.

A postagem foi feita cerca de 16 horas após o número de mortes da covid-19 exceder esse limite, de acordo com a contagem da Universidade Johns Hopkins, uma referência nacional. 

O número de mortos nos EUA, com 1,7 milhão de casos confirmados, é de longe o mais alto de qualquer país do mundo. Trump é acusado de ter respondido tardiamente à pandemia. 

O presidente tem dito repetidamente que qualquer morte por covid-19 é trágica, no entanto, seus críticos afirmam que ele parece mais preocupado com a devastação econômica do país do que em confortar famílias americanas dilaceradas pela perda de entes queridos. 

Ele também foi criticado por apresentar previsões excessivamente otimistas sobre a contagem final de mortes, apenas para contrariar os números que não param de crescer. 

Para Entender

Coronavírus: veja o que já se sabe sobre a doença

Doença está deixando vítimas na Ásia e já foi diagnosticada em outros continentes; Organização Mundial da Saúde está em alerta para evitar epidemia

Na quarta-feira, enquanto muitos políticos americanos, incluindo o provável candidato à presidência do Partido Democrata Joe Biden, expressavam sua tristeza pelo marco sombrio, Trump tuitou sem parar em outras questões. 

Entre a noite de quarta-feira e seu tuíte de quinta-feira pela manhã em reconhecimento às 100 mil mortes, o presidente postou mais de 40 mensagens sobre vários tópicos, mas nenhum sobre as vítimas da covid-19. 

Os democratas atacaram o presidente por parecer insensível à escala do drama. 

"No dia em que os Estados Unidos atingiram 100 mil mortes pela pandemia de covid-19, Trump compartilha uma mensagem descrevendo-se como 'o melhor presidente da nossa história'. Sua vaidade é nauseante", tuitou o congressista Don Beyer. 

Biden reagiu rapidamente quando o número de 100 mil mortos foi conhecido com uma mensagem de vídeo aos enlutados. 

"Há momentos em nossa história tão sombrios e comoventes que sempre ficam presos em cada um de nossos corações como uma dor compartilhada. Hoje é um desses momentos", disse Biden na quarta-feira. "Receba algum conforto pelo fato de todos nós estarmos sofrendo com vocês", acrescentou o candidato democrata. / REUTERS e AFP 

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.