Pelos menos 40 são presos depois de confrontos religiosos na Índia

Autoridades do estado indiano de Gujarat prenderam pelo menos 40 pessoas depois de confrontos à noite entre hindus e muçulmanos na cidade de Vadodara e suspenderam o serviço de internet pelo celular e mensagens de texto por quatro dias no local, disseram autoridades neste domingo.

REUTERS

28 de setembro de 2014 | 11h50

Grupos das duas comunidades religiosas se enfrentaram com pedras e incendiaram veículos até que a polícia os dispersasse com gás lacrimogêneo no fim da tarde de sábado, depois de dias de tensão na cidade, disse a polícia à Reuters.

Gujarat é o estado de origem do primeiro-ministro, o nacionalista hindu, Narendra Modi, que no momento está nos Estados Unidos, onde deve se encontrar com o presidente Barack Obama.

A maior parte da população do estado é hindu. A região tem uma história de conflito religioso. Pelo menos mil pessoas, a maioria delas muçulmanas, morreram em confrontos em Gujarat em 2002. Modi era ministro-chefe do estado na ocasião.

Um jornal local relatou que os distúrbios desta semana em Vadodara começaram com um post no Facebook que muçulmanos consideraram ofensivo.

A polícia na cidade disse que mensagens por celular e redes sociais estão sendo usadas para espalhar mensagens sobre protestos e para alimentar a tensão.

A suspensão de quarto dias da internet móvel e de outros serviços começou no sábado, disse uma autoridade local à Reuters. Moradores confirmaram que os serviços estão prejudicados.

Mais conteúdo sobre:
INDIACONFRONTOS*

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.