Pelosi defende congelamento no gasto militar americano

A principal aliada do presidente dos Estados Unidos, Barack Obama, no Congresso americano, a líder da Câmara Nancy Pelosi, se rebelou nesta quarta-feira contra o pedido do mandatário para isentar os militares da proposta de congelar o orçamento do governo por três anos. Obama fará logo mais nesta noite seu discurso sobre o Estado da União.

AE-DOW JONES, Agencia Estado

28 de janeiro de 2010 | 00h06

"Todo mundo precisa fazer um sacrifício", disse Pelosi ao jornal Politico. "Eu acredito que temos que submeter cada dólar federal ao mais duro escrutínio".

Pelosi disse que cortar o desperdício em meio aos prestadores de serviços das forças armadas e à vasta burocracia militar americana poderá prover "algum espaço" para reduzir em "5%" o orçamento da defesa sem prejudicar as tropas americanas no campo de batalha ou os benefícios dos veteranos.

"Eu penso que se haverá um congelamento nos gastos, precisa ser em todo o governo", disse Pelosi ao Politico.

Tudo o que sabemos sobre:
EuaObamaOrçamentoDemocratas

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.