Pelosi ocupa cadeira no conselho masculino na Arábia

A presidente da Câmara dos Deputados dos EUA, Nancy Pelosi, visitou o conselho consultivo da Arábia Saudita nesta quinta-feira, 5, e sentou-se na cadeira do presidente da entidade, exclusivamente masculina. "A vista daqui é ótima", disse Pelosi, a primeira mulher a ocupar a Presidência no Congresso americano, na sala onde os 150 homens nomeados pelo rei discutem as leis e aconselham o governo. "A cadeira é muito confortável, desde que a sala esteja vazia", brincou Pelosi, referindo-se ao duro trabalho de liderar assembléias legislativas. A quinta-feira é o dia de folga do Conselho Shura. Antes disso, ela esteve em Damasco, onde se reuniu com o presidente sírio, Bashar al-Assad, durante a visita de dois dias que o presidente dos EUA, George W. Bush -- que tenta colocar a Síria no ostracismo - criticou por ser "contraproducente" e enviar "mensagens contraditórias." Nesta semana, ativistas reformistas sírios apresentaram uma petição ao rei Abdullah, da Arábia Saudita, pedindo eleições livres para o parlamento, mas alguns deles foram presos. Desde que o rei ascendeu ao trono em 2005, é alta a expectativa por progressos nas reformas sociais e políticas na monarquia absolutista aliada dos EUA, onde é proibida a existência de partidos políticos. As mulheres não podem dirigir, enfrentam restrições nos locais de trabalho e não podem assumir cargos públicos, que é como os clérigos muçulmanos da Arábia Saudita acham que as coisas devem ser. "Após 200 anos, finalmente temos nos Estados Unidos uma (mulher) presidente, levou bastante tempo", disse Pelosi, líder democrata, aos repórteres após a conversa com a autoridade saudita. A visita reflete um cabo de guerra entre os democratas e o presidente George W. Bush sobre a política externa dos EUA.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.