Pena de morte para casos de assassinato volta a vigorar no Iraque

A pena de morte para pessoas acusadas de assassinato, de pôr em risco a segurança nacional e de vender drogas volta a vigorar no Iraque. O anúncio do governo iraquiano foi feito um dia após a assinatura da lei que confere anistia a iraquianos acusados de crimes considerados "menores". Durante a ocupação norte-americana, a pena de morte havia sido suspensa.Esta é mais uma tentativa do governo iraquiano para tentar por fim à insurgência no país, que já dura 15 meses. Uma das primeiras execuções pode ser a do ex-ditador iraquiano, Saddam Hussein, que foi acusado por crimes de guerra, crimes contra a humanidade e genocídio. Durante o regime do ex-ditador, a pena de morte era aplicada a 114 tipos diferentes de crimes.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.