EFE/PRESIDÊNCIA DE MÉXICO
EFE/PRESIDÊNCIA DE MÉXICO

Peña Nieto anuncia etapas de ação para reconstruir México após terremoto

Presidente mexicano disse que resposta do governo será dividida entre apoio à população afetada, elaboração de um censo abrangente de danos materiais e reconstrução

O Estado de S.Paulo

21 Setembro 2017 | 10h25

CIDADE DO MÉXICO - O presidente do México, Enrique Peña Nieto, anunciou na quarta-feira 20 três etapas de ação após o forte terremoto de terça-feira e pediu aos voluntários que apoiem o trabalho de auxílio às vítimas. "Somos todos um quando se trata de salvar uma vida", disse.

Em uma mensagem à nação, Peña Nieto detalhou que a resposta do governo será dividida em três partes: apoio à população afetada, elaboração de um censo abrangente de danos materiais e reconstrução.

Este último, segundo o líder mexicano, "exigirá inicialmente a demolição de edifícios com danos estruturais irreparáveis e a remoção de detritos". "Nesta etapa será necessária a participação ativa do setor privado e da sociedade como um todo durante as próximas semanas.”

+ ‘Silêncio', a regra entre as ruínas

Além disso, Peña Nieto fez um "reconhecimento aos voluntários que estão auxiliando incondicionalmente aos necessitados", e agradeceu também, em nome da nação, "as milhares de mensagens de solidariedade e incentivo de todas partes do mundo".

"O México aceitou a ajuda técnica e especializada que nos ofereceram diversos países, em particular Espanha, EUA, Israel, Japão e outros países latino-americanos que têm reconhecida experiência em resposta a desastres naturais como os que enfrentamos", afirmou.

O presidente assegurou aos moradores das áreas afetadas que não estão sozinhos. "Trabalhando lado a lado, vamos seguir em frente”, disse. "Diante da força da natureza, todos somos vulneráveis e por isso todos somos um, quando se trata de salvar uma vida ou ajudar uma vítima. Se algo distingue os mexicanos é a generosidade e a fraternidade.”

Até o momento, as autoridades registraram mais de 230 mortes em razão do terremoto de 7,1 graus de magnitude. / EFE

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.