Peña Nieto assume presidência do México

Enrique Peña Nieto fez agora à tarde o juramento como novo presidente do México por um período de seis anos, colocando de volta no poder o Partido Revolucionário Institucional (PRI) após 12 anos de hiato. O PRI dominou o México por 71 anos com um mix de promessas populistas e eleições carregadas de desconfianças, antes de ser substituído nas urnas pelo conservador Partido de Ação Nacional (PAN), em 2000.

AE, Agência Estado

01 de dezembro de 2012 | 18h44

O juramento do novo presidente foi marcado por protestos do lado de fora do Congresso, com explosão de bombas caseiras e gritos de "México sem o PRI!". Os manifestantes e grupos de esquerda entraram em conflito com a polícia na capital depois da posse, alguns arremessando coquetéis Molotov em barreiras próximas ao Congresso, na tentativa de interromper a cerimônia de juramento e o discurso inaugural no início deste sábado. A polícia usou gás lacrimogêneo para conter os protestos.

Entre os manifestantes estavam membros do "Movimiento Yo soy 132", de estudantes do México, que nasceu em oposição ao candidato à presidência pelo PRI. A mídia local divulgou que vários manifestantes e policias ficaram feridos nos confrontos.

Apesar dos protestos, a atmosfera de troca de poder no Congresso foi muito menos caótica do que há seis anos, quando a segurança de Felipe Calderón precisou literalmente usar os músculos para fazê-lo passar pelos bloqueios e manifestantes, entrar no Congresso e fazer seu juramento, após uma vitória disputada com o candidato de esquerda. Após essa experiência, Calderon trabalhou duro para tornar a transição mais suave.

O novo presidente fará também discurso inaugural no histórico Palácio Nacional, sede do Poder Executivo, no centro da cidade, e receberá para um jantar vários convidados, incluindo o vice-presidente dos EUA, Joe Biden, o príncipe Felipe de Espanha e o presidente da Colômbia, Juan Manuel Santos.

No primeiro minuto deste sábado, Peña Nieto assumiu a Presidência do México, em uma breve cerimônia realizada no Palácio Nacional. Na cerimônia de transferência do poder, pouco após a meia-noite local, Felipe Calderón entregou a bandeira do México ao seu sucessor.

Peña Nieto prometeu governar democraticamente e com transparência. Mas seu primeiro gesto, antes mesmo da posse, evidenciou uma forte ligação com o passado. Ao anunciar o gabinete, ontem, Peña Nieto recorreu à velha guarda do partido e a novos tecnocratas para formar seu governo.

"Não acho que haja um ''novo PRI''", comentou Rodrigo Aguilera, analista da Economist Intelligence Unit no México. "Há uma nova geração de membros do PRI, mas eles não representam uma perspectiva fundamentalmente diferente." As informações são das Associated Press.

Mais conteúdo sobre:
Méxicoposse

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.