Peña Nieto declara vitória; Obrador não admite derrota

O candidato do Partido Revolucionário Institucional (PRI), Enrique Peña Nieto, proclamou vitória na eleição presidencial de domingo no México após a divulgação de números preliminares, mas seu principal rival, o esquerdista Andrés Manuel López Obrador, ainda não admitiu a derrota.

AE, Agência Estado

02 de julho de 2012 | 09h19

A contagem preliminar deu a Peña Nieto 38% dos votos, sete pontos a frente de Obrador.

Em seu discurso de vitória, Peña Nieto prometeu um governo moderno, responsável e aberto a críticas. "Somos de uma nova geração. Não há volta para o passado", disse ele, referindo-se ao fato de o PRI estar retornando ao poder 12 anos depois de comandar o país por sete décadas, num período marcado por coerção e corrupção. "Está na hora de seguirmos em frente do país que somos para o México que merecemos e que podemos ser...onde todo mexicano pode escrever sua própria histórica de sucesso."

Apesar da vitória, o PRI esperava que seu candidato, de 45 anos, obtivesse mais da metade dos votos.

Obrador, que obteve cerca de 31% dos votos, não deu o braço a torcer e disse que aguardaria os números finais. "Temos informações que indicam algo diferente do que estão dizendo oficialmente", afirmou. "Não vamos agir de maneira irresponsável."

Josefina Vázquez Mota, do governista Partido da Ação Nacional (PAN), admitiu a derrota logo após o fechamento das urnas. Ela recebeu cerca de 26% dos votos, segundo os dados preliminares. As informações são da Associated Press.

Tudo o que sabemos sobre:
MÉXICOELEIÇÃO

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.