ALFREDO ESTRELLA/AFP
ALFREDO ESTRELLA/AFP

Peña Nieto diz que 'democracia avança', apesar de atos violentos

Após eleição de domingo, presidente do México afirma que atuará com todos partidos para 'impulsionar desenvolvimento'; em pelo menos 3 Estados foram registrados distúrbios durante votação

O Estado de S. Paulo

08 de junho de 2015 | 10h15

CIDADE DO MÉXICO - O presidente do México, Enrique Peña Nieto, afirmou na noite de domingo que "a democracia avança" em seu país ao reconhecer o compromisso dos mexicanos que foram votar na eleição de meio de mandato, apesar "dos atos violentos" de alguns setores.

"Este domingo milhões de mexicanos foram votar, convencidos de que a democracia é o melhor caminho para o México", afirmou o líder em mensagem nacional transmitido pela televisão.

Um total de 83,5 milhões de mexicanos estavam aptos para escolher 2.016 cargos, incluindo os 500 deputados do Congresso federal e os governadores de nove estados.

Em alguns pontos isolados de Estados como Guerrero, Oaxaca e Chiapas, grupos de manifestantes impediram a instalação de urnas e queimaram cédulas de votação.

"A democracia avança", afirmou duas vezes em seu discurso o governante mexicano, do Partido Revolucionário Institucional (PRI). Segundo Peña Nieto, "com o simples, mas transcendente ato de comparecer à urna e depositar o voto, os mexicanos reafirmaram seu desejo de viver em um país de direitos e liberdades, de democracia e pluralidade".

"Expresso o maior reconhecimento a todas as mulheres e homens que cumpriram com seu dever cidadão, especialmente avalio o compromisso cívico das centenas de milhares de vizinhos que se desempenharam como capacitadores eleitorais e funcionários nas mais de 140 mil urnas instaladas", afirmou.

O dia foi marcado pelos incidentes em alguns Estados, especialmente em Guerrero, onde os parentes dos 43 estudantes desaparecidos em setembro do ano passado boicotaram a votação no município de Tixtla.

Também houve ações violentas em Oaxaca e Chiapas, onde o sindicato de professores saqueou seções eleitorais e queimou urnas.

Após felicitar os candidatos e forças políticas vencedoras, o presidente se comprometeu a trabalhar "com todos eles, sem distinção partidária alguma, em corresponsabilidade e pleno respeito ao pacto federal". "Somarei esforços com as novas autoridades estaduais para impulsionar o desenvolvimento regional, fomentar a criação de emprego e trazer segurança aos cidadãos", disse.

Além disso, Peña Nieto afirmou que manterá "uma política de aproximação, diálogo e construção de acordos com a nova legislatura federal", cujas funções terão início no próximo dia 1º de setembro. / EFE

Tudo o que sabemos sobre:
MéxicoPRIEnrique Peña Nieto

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.