Reuters
Reuters

Sean Penn diz que foi mais rápido que a Polícia com 'El Chapo'

Segundo o ator, mexicanos estão constrangidos por ele ter encontrado o traficante primeiro do que as autoridades do País

O Estado de S.Paulo

16 Janeiro 2016 | 02h00

O ator americano Sean Penn afirmou, em entrevista exibida nesta sexta-feira, que as autoridades mexicanas estão querendo incentivar os cartéis de drogas a colocar a culpa pela prisão do narcotraficante Joaquín "El Chapo" Guzmán no encontro que os dois tiveram. Segundo Penn, o governo mexicano ficou constrangido por ele e seus colaboradores terem encontrado o narcotraficante antes que as autoridades conseguissem prendê-lo.

O ator também lamentou a repercussão de sua reportagem com o chefe do tráfico mexicano, que tinha como objetivo discutir a violência das drogas, segundo o astro de Hollywood.

"Lamento terrivelmente", disse Penn ao apresentador Charlie Rose, do programa de TV This Morning, da CBS, em entrevista gravada na quinta-feira em Santa Monica, na Califórnia. "Lamento que a discussão inteira sobre essa reportagem ignore o seu propósito, que era tentar contribuir para esse debate sobre a política da guerra às drogas."

Em outro programa com Rose, o 60 Minutes, da CBS, que será exibido amanhã, Penn disse que "fracassou" por não ter atingido seu propósito, que era jogar luzes sobre a politica de guerra contra as drogas. "Deixe-me ser claro: meu texto fracassou", disse Penn na nova entrevista, que teve alguns trechos divulgados ontem.

Guzmán foi recapturado pela polícia mexicana na semana passada, seis meses após ter protagonizado uma fuga espetacular da prisão por meio de um túnel dentro de sua cela.

Enquanto estava foragido, Guzmán teve um encontro secreto com Penn em um esconderijo na selva - fato que o governo diz ter sido "essencial" para encontrá-lo.

A reportagem com base na entrevista concedida a Penn, de 55 anos, foi publicada na revista Rolling Stone há uma semana. Nela, Guzmán se vangloria das remessas de drogas aos EUA e da lavagem de dinheiro por meio de grandes empresas mexicanas e estrangeiras.

Desde a publicação da reportagem, o ator vinha mantendo o silêncio sobre as circunstâncias do encontro com o narcotraficante, em que esteve acompanhado da atriz mexicana Kate Del Castillo.

Penn negou que sua entrevista com o narcotraficante tenha facilitado a captura do criminoso pelas autoridades mexicanas, como disseram alguns membros do governo mexicano, e qualificou isso de "mito". "Existe esse mito sobre a visita que fizemos, meus colegas e eu, a El Chapo, que foi 'essencial' para a captura dele", disse Penn. Ele disse que se encontrou com Guzmán há "muitas semanas" e em um local longe do ponto de sua captura, o Estado de Sinaloa.

Penn disse que poderia estar correndo perigo, mas afirmou não ter medo de possíveis ameaças. Ele não disse quem organizou o encontro com Guzmán, mas contou ter um contato que "facilitou um convite". Autoridades mexicanas afirmam que a atriz mexicana intermediou o contato entre "El Chapo" e Penn. / REUTERS e EFE

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.