Pentágono adota clarim automático para funerais

Sofrendo com falta de músicos para funerais, o Pentágono aprovou o uso de um clarim automático, que toca quando um botão é pressionado. O usuário apenas tem de erguer o aparelho até a boca e fingir estar assoprando. Segundo a porta-voz tenente-coronel Cynthia Colin, apenas 500 músicos estão de serviço a cada dia nas Forças Armadas, mas cerca de 1.800 pessoas com direito a honras militares morrem a cada 24 horas nos EUA.Assim, o Departamento de Defesa contratou uma empresa privada para criar o ?clarim cerimonial?, que tem um pequeno gravador digital inserido em seu interior. O membro da guarda de honra aperta o botão e tem cinco segundos para erguer o clarim e encostá-lo nos lábios antes que a música comece.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.