Pentágono adverte jornalistas sobre perigos de Bagdá

O Pentágono aconselhou os principais jornais e agências de notícias dos EUA a solicitar que seus jornalistas abandonem Bagdá, porque o risco de vida será maior desta vez do que na Guerra do Golfo, em 1991, quando a capital iraquiana foi atingida de forma marginal no conflito.A porta-voz do secretário de Defesa Donald Rumsfeld, Victoria Clarke, comunicou à imprensa que, caso seja tomada a decisão de atacar, os bombardeios sobre Bagdá serão totais e que não se pode garantir a segurança dos jornalistas no local."Bagdá será, decididamente, um dos piores lugares para estar", afirmou Clarke. Atualmente, há cerca de 250 jornalistas americanos na capital iraquiana.O Pentágono alertou também sobre o risco de que soldados iraquianos ou a polícia secreta do presidente Saddam Hussein possam seqüestrar jornalistas, ou matá-los, em caso de bombardeio sobre Bagdá.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.