Pentágono anuncia redução de armas nucleares

O Pentágono informou nesta terça-feira que cortou drasticamente o número de submarinos dos Estados Unidos e armas nucleares lançados por bombardeiros e que irá preservar a maior parte dos mísseis balísticos intercontinentais terrestres no país para cumprir um tratado com a Rússia.

AE, Agência Estado

08 de abril de 2014 | 14h01

O anúncio do Pentágono ocorre em um momento aparentemente incongruente à medida que as tensões do Ocidente com a Rússia estão aumentando depois da anexação da Crimeia e do envio de tropas para a fronteira com a Ucrânia.

Funcionários da secretaria de Defesa dizem que a decisão de diminuir as forças nucleares norte-americanas precisam ser feitas com bastante antecedência antes do prazo limite de 2018, estabelecido pelo tratado com a Rússia. Mas não ficou claro por que o governo não optou por atrasar o anúncio em face de tensões recentes com Moscou.

O tratado Novo Start, ratificado pelo Senado em dezembro de 2010, exige que os EUA cortem suas forças para 700 lançadores mobilizados até 2018, bem como manter em 100 os chamados lançadores de armas não mobilizados. Segundo o acordo, a Rússia deve fazer cortes semelhantes às suas forças nucleares em geral. Fonte: Dow Jones Newswires.

Tudo o que sabemos sobre:
EUARússiaarmas nucleares

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.