Jeremy Corbell
Jeremy Corbell

Pentágono confirma que vídeo com OVNIs em forma de pirâmide é autêntico

Nas imagens gravadas com algum equipamento de visão noturna é possível ver ao menos três objetos triangulares no céu

AP e AFP, O Estado de S.Paulo

14 de abril de 2021 | 08h16

O Pentágono confirmou, nesta terça-feira (13), que são reais as imagens divulgadas em um vídeo sobre objetos voadores não identificados (OVNIs) no céu da Califórnia, nos Estados Unidos. Em abril de 2020, o governo americano havia retirado o sigilo dos vídeos gravados de um navio da Marinha. 

O  vídeo foi publicado pelo documentarista Jeremy Corbell em seu Twitter na semana passada. Nas imagens gravadas com algum equipamento de visão noturna é possível ver ao menos três objetos triangulares no céu. Um deles parece emitir alguma luz que fica piscando.

Na mensagem, Corbell diz: “A Marinha dos Estados Unidos fotografou e filmou OVNIs em forma de “pirâmide” e veículos transmédios avançados “esféricos”; aqui está a filmagem.” De acordo com Corbell, o vídeo foi feito em julho de 2019.

A imagem mostra os OVNIs se movendo rapidamente enquanto eram gravados por câmeras com sistema infravermelho (térmicas). Em dois dos vídeos, é possível ouvir a reação dos responsáveis pela gravação, que parecem assustados com a velocidade de movimento dos objetos. Um deles questiona se aquilo poderia ser um drone.

De acordo com o especialista em OVNIs e porta-voz do Departamento de Defesa dos EUA, Sue Gough, em entrevista ao site Mystery Wire, o vídeo foi gravado por oficiais do navio USS Russell e que os objetos eram similares a "pirâmides voadoras". 

Apesar de o vídeo ter a autenticidade comprovada, Sue Gough não confirma que os objetos são reais. Em entrevista ao portal Futurism, ela destaca apenas que o registro está entre as pesquisas em andamento. 

A Marinha dos EUA reconheceu a veracidade das imagens em setembro de 2019. Elas foram divulgadas, ano passado, “para esclarecer qualquer equívoco por parte da população sobre se as imagens que circulavam eram reais, ou se há ou não mais vídeos”, ainda de acordo com Sue Gough. 

“Após uma revisão minuciosa, o departamento determinou que a divulgação autorizada desses vídeos secretos não revela quaisquer recursos ou sistemas delicados”, disse Gough em nota, acrescentando que “não infringe qualquer investigação subsequente de incursões militares espaciais”, afirmou Gough à CNN, em abril de 2020. / AP e AFP

 

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.