Pentágono convoca mais 12.000 reservistas

O Departamento de Defesa (Pentágono) convocou hoje mais 12.039 militares da reserva do Exército e da Guarda Nacional para o serviço ativo, como parte dos preparativos para um possível ataque ao Iraque. Com esse acréscimo, o total de reservistas chamados é de 188.591. Os EUA já deslocaram para o Golfo Pérsico 225 mil soldados e a Grã-Bretanha, 45 mil homens.O general Tommy Franks, o comandante das forças militares dos EUA no caso do lançamento de uma guerra, chegou hoje ao Catar, sede do comando avançado que conduzirá o ataque. Os movimentos de Franks são muito sigilosos. Não está claro se ele ficará na base de As-Sayliyah, perto de Doha, a capital catariana, ou voltará a Tampa, no Estado americano da Flórida, para aguardar as negociações no âmbito da ONU.Numa entrevista à imprensa na terça-feira, nem o secretário americano da Defesa, Donald Rumsfeld, nem o chefe do Estado-Maior Conjunto das Forças Armadas, general Richard Myers, deram indicações sobre o possível uso de uma superbomba de 9,5 toneladas de TNT, denominada Massive Ordnance Air Blast (Moab, bomba de explosão maciça) para forçar a rendição do Iraque."Tudo o que temos no nosso arsenal, tudo o que está em estágio de desenvolvimento poderá ser usado", disse Myers.Um porta-voz do Pentágono informou que o teste da Moab - apelidada de "mãe de todas as bombas" - foi um sucesso.Hoje, a ONU anunciou ter retirado, para escritórios no Kuwait, observadores que atuavam na fronteira kuwaitiano-iraquiana, como "medida de segurança".

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.